MZM - Construtora

Móveis multiuso e marcenaria ousada fazem o espaço render em apê de 14 m²

10 de novembro / 2016

Tons suaves e espelhos em toda a altura da parede transmitem a sensação de amplitude para o apartamento com 14 m². No projeto assinado pela arquiteta Consuelo Jorge, o piso foi coberto de porcelanato no padrão 60 x 60 cm, polido e com acabamento retificado, que propicia a separação mínima entre as peças e, consequentemente, deixa o visual mais uniforme | Imagem: Raphael Briest/Divulgação
Tons suaves e espelhos em toda a altura da parede transmitem a sensação de amplitude para o apartamento com 14 m². No projeto assinado pela arquiteta Consuelo Jorge, o piso foi coberto de porcelanato no padrão 60 x 60 cm, polido e com acabamento retificado, que propicia a separação mínima entre as peças e, consequentemente, deixa o visual mais uniforme | Imagem: Raphael Briest/Divulgação

Os móveis com várias funções e a marcenaria cheia de truques foram a saída da arquiteta Consuelo Jorge para dar mais “espaço” ao apartamento super compacto com 14 m², em São Paulo. A área equivalente a de uma van comporta salas de estar e jantar, cozinha, quarto, banheiro, escritório e lavanderia.

O maior trunfo está na parede móvel que corre em dois trilhos fixados na laje. Ela setoriza e organiza os espaços multiúso e serve como base para parte dos móveis embutidos. “A versatilidade da marcenaria é o grande destaque, pois permite o máximo aproveitamento da escassa metragem”, diz a arquiteta.

Puxa, encolhe e dobra

Além da divisória móvel em MDF, o ambiente conta com outras surpresas: quase todos os móveis são dobráveis e facilmente recolhidos para favorecer a circulação dos moradores. As peças também se adaptam conforme o cenário desejado: o sofá vira cama de casal, o quadro se transforma na base de uma mesa e a bancada de trabalho, quando está fechada, fica imperceptível.

Outro macete, que pode inspirar soluções para outros apartamentos pequenos, é o uso de cores claras como base da decoração somadas aos espelhos. Essa combinação é certeira para transmitir a ideia de amplitude. No caso deste imóvel, o branco puro é quebrado pelo tom da madeira, que oferece mais aconchego. “Usamos o MDF revestido por carvalho pela durabilidade e praticidade de manutenção, além do custo reduzido e da rapidez na fabricação”, explica Consuelo.

Tons suaves e espelhos em toda a altura da parede transmitem a sensação de amplitude para o apartamento com 14 m². No projeto assinado pela arquiteta Consuelo Jorge, o piso foi coberto de porcelanato no padrão 60 x 60 cm, polido e com acabamento retificado, que propicia a separação mínima entre as peças e, consequentemente, deixa o visual mais uniforme | Imagem: Raphael Briest/Divulgação
Tons suaves e espelhos em toda a altura da parede transmitem a sensação de amplitude para o apartamento com 14 m². No projeto assinado pela arquiteta Consuelo Jorge, o piso foi coberto de porcelanato no padrão 60 x 60 cm, polido e com acabamento retificado, que propicia a separação mínima entre as peças e, consequentemente, deixa o visual mais uniforme | Imagem: Raphael Briest/Divulgação

 

Um dos segredos para a otimização do espaço são os móveis embutidos. Os sofás - da direita (aberto) e da esquerda (fechado) - se unem para formar uma cama de casal. As portas tiveram os puxadores substituídos por recortes na madeira, o que deixa a aparência mais leve e evita enroscos e batidas durante a circulação. O projeto de arquitetura de interiores é da arquiteta Consuelo Jorge | Imagem: Raphael Briest/Divulgação
Um dos segredos para a otimização do espaço são os móveis embutidos. Os sofás – da direita (aberto) e da esquerda (fechado) – se unem para formar uma cama de casal. As portas tiveram os puxadores substituídos por recortes na madeira, o que deixa a aparência mais leve e evita enroscos e batidas durante a circulação. O projeto de arquitetura de interiores é da arquiteta Consuelo Jorge | Imagem: Raphael Briest/Divulgação

 

O apê parece apertado, mas conta com a dupla de sofás-cama. Quando o ambiente é usado como sala, a iluminação com spots embutidos no teto e nos nichos dos armários fica mais forte. "É uma maneira simples de obter diferentes efeitos", diz a arquiteta Consuelo Jorge, idealizadora do projeto. A intensidade é controlada por dimmer, recurso que pode colaborar para a economia de energia elétrica | Imagem: Raphael Briest/Divulgação
O apê parece apertado, mas conta com a dupla de sofás-cama. Quando o ambiente é usado como sala, a iluminação com spots embutidos no teto e nos nichos dos armários fica mais forte. “É uma maneira simples de obter diferentes efeitos”, diz a arquiteta Consuelo Jorge, idealizadora do projeto. A intensidade é controlada por dimmer, recurso que pode colaborar para a economia de energia elétrica | Imagem: Raphael Briest/Divulgação

 

Para explorar ao máximo a área de 14 m² do apartamento, a arquiteta Consuelo Jorge idealizou uma parede/ estante de MDF (à esq.) que se movimenta a partir de trilhos fixados na laje. Conforme a posição, a divisória revela o quarto (foto), onde é possível montar uma cama de casal, ou a sala de jantar e o escritório | Imagem: Raphael Briest/Divulgação
Para explorar ao máximo a área de 14 m² do apartamento, a arquiteta Consuelo Jorge idealizou uma parede/ estante de MDF (à esq.) que se movimenta a partir de trilhos fixados na laje. Conforme a posição, a divisória revela o quarto (foto), onde é possível montar uma cama de casal, ou a sala de jantar e o escritório | Imagem: Raphael Briest/Divulgação

 

A parede de MDF (fibras de madeira compensadas) funciona como um armário com dupla face: de um lado, além de prateleiras, abriga uma cama; do outro dá suporte à bancada de trabalho. O banquinho pode ser guardado no nicho da parede, abaixo do quadro (à esq.). A arquitetura de interiores foi concebida por Consuelo Jorge | Imagem: Raphael Briest/Divulgação
A parede de MDF (fibras de madeira compensadas) funciona como um armário com dupla face: de um lado, além de prateleiras, abriga uma cama; do outro dá suporte à bancada de trabalho. O banquinho pode ser guardado no nicho da parede, abaixo do quadro (à esq.). A arquitetura de interiores foi concebida por Consuelo Jorge | Imagem: Raphael Briest/Divulgação

 

O trecho reservado à cozinha é discreto: resume-se a uma bancada de Corian (à esq.) que, quando levantada, mostra o cooktop elétrico de duas bocas, a cuba e uma pequena área de trabalho. No projeto da arquiteta Consuelo Jorge, o forro rebaixado setoriza os ambientes e disfarça o trecho onde corre a parede de MDF. Sabe o quadro à esquerda? Ele esconde uma mesa de jantar dobrável | Imagem: Raphael Briest/Divulgação
O trecho reservado à cozinha é discreto: resume-se a uma bancada de Corian (à esq.) que, quando levantada, mostra o cooktop elétrico de duas bocas, a cuba e uma pequena área de trabalho. No projeto da arquiteta Consuelo Jorge, o forro rebaixado setoriza os ambientes e disfarça o trecho onde corre a parede de MDF. Sabe o quadro à esquerda? Ele esconde uma mesa de jantar dobrável | Imagem: Raphael Briest/Divulgação

 

A mesa de jantar para até cinco pessoas possui no verso do tampo um quadro que decora a sala. O móvel é dobrável, assim como as cadeiras e outros elementos desenhados pela arquiteta Consuelo Jorge, que também assina a decoração do apê com 14m². À direita, no verso da parede móvel, um nicho ganhou suportes para lápis e outras miudezas | Imagem: Raphael Briest/Divulgação
A mesa de jantar para até cinco pessoas possui no verso do tampo um quadro que decora a sala. O móvel é dobrável, assim como as cadeiras e outros elementos desenhados pela arquiteta Consuelo Jorge, que também assina a decoração do apê com 14m². À direita, no verso da parede móvel, um nicho ganhou suportes para lápis e outras miudezas | Imagem: Raphael Briest/Divulgação

 

Toda a extensão da parede, que abriga a mesa de jantar e a pequena cozinha (à dir.), é aproveitada com armários ou nichos no projeto concebido por Consuelo Jorge para o apartamento com 14 m². Sobre a pia, a arquiteta posicionou um cordão de luzes LED, que auxilia no momento de cozinhar | Imagem: Raphael Briest/Divulgação
Toda a extensão da parede, que abriga a mesa de jantar e a pequena cozinha (à dir.), é aproveitada com armários ou nichos no projeto concebido por Consuelo Jorge para o apartamento com 14 m². Sobre a pia, a arquiteta posicionou um cordão de luzes LED, que auxilia no momento de cozinhar | Imagem: Raphael Briest/Divulgação

 

O compacto hall (à esq.) serve de penteadeira e lavabo. Aqui, os armários também partem do piso e a iluminação atrás do espelho proporciona um jogo de volumes. Neste trecho, é possível perceber a espessura da divisória móvel de MDF (à dir.), com 30 cm (uma parede convencional de alvenaria mede de 15 a 20 cm), que faz a setorização dos usos no projeto da arquiteta Consuelo Jorge | Imagem: Raphael Briest/Divulgação
O compacto hall (à esq.) serve de penteadeira e lavabo. Aqui, os armários também partem do piso e a iluminação atrás do espelho proporciona um jogo de volumes. Neste trecho, é possível perceber a espessura da divisória móvel de MDF (à dir.), com 30 cm (uma parede convencional de alvenaria mede de 15 a 20 cm), que faz a setorização dos usos no projeto da arquiteta Consuelo Jorge | Imagem: Raphael Briest/Divulgação

 

Os ambientes do pequeno apartamento são integrados, com exceção do banheiro (ao fundo), resguardado pela porta espelhada de correr. A madeira e o branco usados na decoração dão ideia de movimento visual e ajudam a delimitar os espaços no projeto do escritório Consuelo Jorge Arquitetos | Imagem: Raphael Briest/Divulgação
Os ambientes do pequeno apartamento são integrados, com exceção do banheiro (ao fundo), resguardado pela porta espelhada de correr. A madeira e o branco usados na decoração dão ideia de movimento visual e ajudam a delimitar os espaços no projeto do escritório Consuelo Jorge Arquitetos | Imagem: Raphael Briest/Divulgação

 

No banheiro, uma parede foi revestida com lâmina de madeira no padrão carvalho, usada em outros pontos do apê com 14 m², e as demais receberam cerâmica. "O box conta com 80 cm de largura, tamanho mínimo necessário", explica Consuelo Jorge, autora do projeto do apartamento. A arquiteta alerta que banheiros pequenos devem apresentar 60 cm entre o vaso e a parede, como medida de conforto | Imagem: Raphael Briest/Divulgação
No banheiro, uma parede foi revestida com lâmina de madeira no padrão carvalho, usada em outros pontos do apê com 14 m², e as demais receberam cerâmica. “O box conta com 80 cm de largura, tamanho mínimo necessário”, explica Consuelo Jorge, autora do projeto do apartamento. A arquiteta alerta que banheiros pequenos devem apresentar 60 cm entre o vaso e a parede, como medida de conforto | Imagem: Raphael Briest/Divulgação

 

Na entrada já estão a compacta cozinha (à dir.) e a lavanderia (à esq.), ambas camufladas por armários. Para definir salas, escritório e quarto no apartamento de 14 m², a arquiteta Consuelo Jorge projetou uma parede móvel de madeira | Imagem: Raphael Briest/Divulgação
Na entrada já estão a compacta cozinha (à dir.) e a lavanderia (à esq.), ambas camufladas por armários. Para definir salas, escritório e quarto no apartamento de 14 m², a arquiteta Consuelo Jorge projetou uma parede móvel de madeira | Imagem: Raphael Briest/Divulgação

Fonte: estilo.uol.com.br